Acordes de Aprendizagem: Noções básicas de Formação e Composição de Acordes

A música é uma arte que tem o poder de inspirar, elevar e curar. Aprender a tocar acordes pode ser uma experiência divertida e gratificante, quer seja um aspirante a músico ou simplesmente apreciar ouvir música.

Neste artigo vamos analisar o básico dos acordes, explicando o que eles são, como funcionam e como tocá-los. Quer queira aprender acordes para guitarra ou piano, este artigo é o ponto de partida perfeito.
Índice

Tem necessariamente de conhecer a teoria da música?

O conhecimento da teoria musical não é essencial para fazer música - há numerosos exemplos disto, como David Bowie ou Eric Clapton, que nunca aprenderam teoria musical.

Mas há que admitir que tal conhecimento é de grande vantagem quando se compõe ou se toca com outros músicos numa banda. Aceleram enormemente o processo de composição e permitem-nos comunicar com outros músicos na mesma "língua".

É muito mais fácil dizer a um guitarrista: "Por favor toque um G menor" do que dizer: "Toque o acorde no terceiro traste da sexta corda, mas não o feliz, o triste!"

Um dos conceitos mais importantes são os acordes, os blocos básicos de construção de qualquer canção. Há muitos tipos diferentes de acordes que têm diferentes humores e caracteres. Quando estes são inteligentemente combinados, a harmonia da canção é criada.

Correspondência: Tritone - Porque é que o intervalo do diabo é tão especial

O que são acordes na música?

Um acorde é um grupo de pelo menos três notas diferentes que são tocadas em conjunto e harmonizadas. São formados por intervalos fixos a partir do fundamental.

As notas de um acorde podem ser tocadas simultaneamente (tríade) ou uma após a outra (arpejo) e produzem um som cheio e harmónico.

Acorde/esquerda) vs Arpeggio (direita)
Acorde (esquerda) vs Arpeggio (direita)

A combinação de notas num acorde confere-lhe o seu carácter único e distingue-o de outros acordes. São um elemento essencial de qualquer estilo de música: formam a base da maioria das canções e são utilizadas para criar ritmo, harmonia e melodia.

Os acordes são tocados numa variedade de instrumentos tais como guitarras, pianos e órgãos - de facto, em qualquer instrumento que possa tocar várias notas ao mesmo tempo (polifonia) - e podem ser usados para criar uma variedade de estados de espírito, desde alegre e optimista até triste e pensiva.

O que são intervalos?

Clique aqui para ver o artigo pormenorizado sobre os intervalos

Em música, um intervalo é a distância entre duas notas. É a medida da diferença de altura entre duas notas e é expressa em semitons (também chamados semitons) ou em tons inteiros (também chamados tons).

Os acordes são sempre criados através da combinação de diferentes intervalos.

Por exemplo, a distância entre duas teclas consecutivas (branco ou preto) num piano é de um semitom. A distância entre duas teclas brancas consecutivas é de dois semitons (excepto entre E e F e entre B e C).

Os intervalos desempenham um papel importante na teoria e composição musical, uma vez que determinam as relações entre diferentes tons e ajudam a criar melodias, harmonias e progressões de acordes.

Pode ler mais sobre intervalos, passos e harmonias no meu artigo sobre cadências musicais.

Todos os diferentes intervalos de música
Todos os diferentes intervalos de música

Há um total de 13 tipos diferentes de intervalos:

  • Uníssono: a distância entre duas notas do mesmo tom, i.e. 0
  • Pequeno segundo: a distância entre duas teclas consecutivas de um piano
  • Grande segundodois semitons
  • Terço menortrês semitons
  • Terço principalquatro semitons
  • Quarto perfeitocinco semitons
  • Quinto Menorseis semitons
  • Quinto perfeitosete semitons
  • Menor sexto/Quinto exageradooito semitons
  • Sexta maiornove semitons
  • Sétimo menor: dez semitons
  • Sétimo maioronze semitons
  • Octave: doze semitons

Cada tipo de intervalo tem o seu próprio som e é utilizado em diferentes contextos musicais para alcançar efeitos diferentes. Os intervalos são de grande importância para a composição musical e são uma parte importante da teoria musical.

Um exemplo: um pequeno segundo soa dissonante e pode ser usado para criar tensão ou medo. Um exemplo perfeito disto é a música para o filme Jaws, onde pequenos segundos são constantemente tocados para tornar a música sinistra.

YouTube

Ao carregar o vídeo, o utilizador aceita a política de privacidade do YouTube.
Saiba mais

Carregar vídeo

A pontuação de Mandíbulas consiste principalmente em pequenos segundos.

A música de "Feliz Aniversário", por outro lado, utiliza grandes segundos e quartos, que soam muito mais alegres e descontraídos. Aqui torna-se claro o quanto os intervalos influenciam o humor da canção.

YouTube

Ao carregar o vídeo, o utilizador aceita a política de privacidade do YouTube.
Saiba mais

Carregar vídeo

A canção "Happy Birthday" utiliza grandes segundos e quartos, que soam muito mais alegres e animados

Tríade

Uma tríade é uma espécie de acorde que consiste em três notas. São tocadas simultaneamente e estão separadas umas das outras por intervalos precisamente definidos.

As tríades desempenham um papel importante na criação de harmonia e na determinação da chave de uma peça de música. Também podem ser tocadas em diferentes inversões, ou seja, a ordem das notas pode ser invertida para criar diferentes possibilidades harmónicas.

Importante: O som de um acorde pode ser influenciado pelo contexto em que é usado. Por exemplo, um acorde menor pode soar triste em uma música, mas excitante ou misterioso em outro contexto. O mesmo acontece com acordes maiores.

Em última análise, o impacto emocional de um acorde depende da combinação de intervalos, ritmo, melodia e harmonia utilizados numa peça musical.

Acordes principais

Tríade principal C
Tríade principal C

A tríade mais comum é a tríade principal, que consiste de um básico, um terço principal e um quinto.

O som de um acorde maior é geralmente descrito como brilhante, alegre e triunfante. Transmite uma sensação de estabilidade e determinação. Os acordes maiores são frequentemente usados em música alegre e optimista e podem evocar sentimentos de felicidade e excitação.

Acordes menores

Tríade C menor
Tríade C menor

Em contraste, um acorde menor é formado por uma base, uma terceira inferior e uma quinta.

Esta combinação de intervalos produz um som triste, tenso e não resolvido. Portanto, os acordes menores são frequentemente utilizados em música que exprime tristeza, auto-reflexão ou um estado de espírito mais contemplativo.

Acordes diminuídos

C Diminuído
C Diminuído

Um acorde diminuto consiste em uma base, uma terceira menor e uma quinta diminuta.

O som de uma tríade diminuída é tenso, instável e dissonante. Esta combinação de intervalos cria tensão e a necessidade de resolução. É por isso que os acordes diminuídos são frequentemente usados na música para criar momentos dramáticos e construir tensão.

Acordes excessivos

C Excessivo
C Excessivo

Uma tríade aumentada consiste numa nota de raiz, um terço maior, e um quinto aumentado.

O som de uma tríade aumentada é caracterizado pelo seu brilho, complexidade harmónica e efeito surpresa. Pode acrescentar um elemento único ou dramático a uma peça de música.

Sétimo Cordeiro

Um acorde de quatro notas é um acorde que consiste em quatro notas diferentes. É constituído por uma das tríades acima mencionadas + outro tom.

Os acordes de quatro notas mais comuns na música ocidental são sete acordes, que consistem de uma raiz, uma terceira, uma quinta e uma sétima. Estes acordes podem ser maiores, menores, aumentados ou diminuídos, e cada tipo de sétimo acorde tem o seu próprio som e toque.

Estes são os 4 acordes mais frequentemente utilizados no sétimo:

  • Sétimo acorde maior: acorde maior + sétimo maior
  • Sétimo acorde menor maior: acorde menor + sétimo maior
  • Sétimo acorde maior menor: acorde maior + sétimo menor
  • Sétimo acorde menor: acorde menor + sétimo menor

São uma parte muito importante da música jazz, e o seu som e sensação podem ter um impacto significativo no humor geral de uma peça de música. Os acordes septa soam mais complexos e harmonicamente mais ricos do que simples acordes maiores ou menores - mas são também muito mais difíceis de tocar!

Cabos de energia para Rock'n'Roll

Os acordes de potência são um tipo de acorde frequentemente utilizado em rocha, punk ou metal. Consistem apenas na raiz e na quinta - pelo que a terceira é omitida. Isto cria um acorde que não é maior nem menor, mas soa neutro e ambíguo.

Os acordes de potência são frequentemente tocados em guitarras eléctricas com distorção e alto volume para criar um som potente e agressivo. São frequentemente usadas em conjunto com ritmos de cordas abertos ou com a mão e são frequentemente usadas para criar um som de condução e enérgico.

Uma vez que os acordes de potência consistem apenas na nota de raiz e um quinto, são fáceis de tocar e podem ser facilmente tocados para cima e para baixo no pescoço da guitarra. Isto torna-os especialmente populares entre os principiantes de guitarra que querem criar um som poderoso e agressivo na sua música.

Combinação de acordes ao compor

Aprendeu agora os acordes mais importantes - agora é tempo de os combinar para compor canções.

Já mencionei anteriormente que o som, ou melhor, o efeito dos acordes varia consoante o contexto. Mas porquê, na realidade? C major é claramente C major, não é?

Bem, isso é apenas metade da verdade. Precisamos de olhar para o key of the song para compreender o "contexto musical", porque cada chave tem passos diferentes. Estes passos representam a posição da nota em relação a toda a escala.

Os 7 passos na chave do C major
Os 7 passos na chave do C major

Cada nível tem o seu próprio nome e é representado por numerais romanos:

  • I: Tónico
  • II: Paralelo sub-dominante
  • III: Paralelo dominante
  • IV: Subdominante
  • V: Dominante
  • VI: Paralelo tónico
  • VII: Tom principal
  • VIII: Tónico (como I)

As fases mais importantes são as Tónico (I), o dominante (V) e o subdominante (IV).

Assim, um C major é o tónico quando estamos na chave do C major. Mas se estivermos na chave de G major, então C major é o subdominante e G major o tónico. Portanto, como subdominante, C major tem um efeito completamente diferente no ouvinte do que como tónico.

A título de exemplo: No C major scale, o C major acorde é o tónico, F major é o subdominante (4º grau) e G major é o dominante (5º grau). Na escalaG major>, G major é o tónico, C major é o subdominante (IV) e D major é o dominante (V).

A combinação destes 3 passos, ou seja, a sequência de acordes I, IV, V, soa sempre bem e, por isso, tem sido utilizada em milhares de canções.

Continue a ler agora:

Partilhar este artigo

Investigamos, testamos, revemos e recomendamos de forma independente os melhores produtos. Se comprar algo através dos nossos links, poderemos receber uma comissão.

Publicidade

Índice

Subscreva a nossa newsletter para não perder nada!

Gear
Agora também estamos no Youtube!
YouTube

Ao carregar o vídeo, o utilizador aceita a política de privacidade do YouTube.
Saiba mais

Carregar vídeo

Mais artigos

Índice

Mais contribuições
Notícias
Uma análise: As letras de canções mais populares do mundo
Que letras de canções são mais frequentemente pesquisadas em todo o mundo? Investigámos esta questão com uma pesquisa intensiva e analisámos quais as letras de canções mais frequentemente pesquisadas no Google.
Leia mais →
Notícias
Estudo: As músicas e os riffs mais tocados no mundo
Quais são as músicas que os músicos de todo o mundo mais querem tocar? Investigámos esta questão interessante e pesquisámos quais os acordes e riffs de guitarra mais populares em todo o mundo.
Leia mais →
As melhores cidades alemãs para músicos
Para artistas
Estudo: As melhores cidades alemãs para músicos
Qual é a melhor cidade alemã para os músicos viverem? Analisámos esta questão e realizámos um estudo sobre as 40 maiores cidades da Alemanha
Leia mais →
Gear
Lista de classificação: Que guitarras eléctricas têm o melhor valor de revenda?
Analisámos os preços usados das 40 guitarras eléctricas mais vendidas e comparámo-los com os preços novos. Mostramos quais as guitarras eléctricas mais vendidas no mercado de segunda mão e quais as ...
Leia mais →
Para artistas
As marcas de sintetizadores mais populares em cada país
Analisámos as consultas de pesquisa no Google das 6 marcas de sintetizadores mais populares em 118 países e avaliámos os resultados. Os resultados são muito interessantes e mostram, acima de tudo, ...
Leia mais →
Os melhores pedais de reverberação
Gear
Os melhores pedais de reverberação para guitarristas e produtores
Um pedal de reverberação pode dar uma profundidade incrível à guitarra e enriquecer enormemente o som. Independentemente de o seu amplificador já ter um reverb incorporado ou não ...
Leia mais →