Gravar vozes no estúdio em casa: um guia passo-a-passo

YouTube

Ao carregar o vídeo, o utilizador aceita a política de privacidade do YouTube.
Saiba mais

Carregar vídeo

As gravações vocais são provavelmente as gravações mais importantes de todas - afinal de contas, as vozes são o coração de cada canção. Embora seja possível produzir canções decentes com gravações medíocres de bateria ou baixo, todos os ouvintes notam imediatamente se as vozes não estão perfeitas. É por isso que as gravações vocais são tão importantes! Neste artigo, encontrará instruções detalhadas passo a passo com fotografias do meu estúdio.
Índice

Se quiser gravar vozes em casa ou num estúdio doméstico, precisa basicamente de dois dispositivos: um microfone e uma interface de áudio. Teoricamente, pode começar de imediato! No entanto, há muitos factores que influenciam o som da voz, pelo que deve pensar previamente na configuração.

Não é só o microfone vocal que tem uma grande influência no som, mas também a acústica da sala de gravação, a distância entre o cantor e o microfone, o preamp, o conversor AD na interface e até o cabo XLR.

Iremos analisar passo a passo os diferentes processos de gravação de vozes, para que possa fazer sempre as melhores gravações possíveis no seu estúdio. Quer esteja a gravar sozinho ou se alguém for ao seu estúdio, este guia é para todos.

Correspondência: Como criar a cadeia vocal perfeita

Passo 1: Otimizar acusticamente a sala

A primeira coisa em que deve pensar é na acústica da sala em que pretende gravar as vozes. A acústica tem uma influência muito grande na qualidade da gravação. Por isso, se tiver a possibilidade, deve definitivamente tomar algumas medidas acústicas.

Eis como poderia ser a otimização acústica de uma sala
Eis como poderia ser a otimização acústica de uma sala

Mas se não puder fazer nada em relação à acústica da sala, isso não é assim tão mau - deve apenas gravar a sua voz com um bom microfone dinâmico em vez de um microfone de condensador, porque os microfones dinâmicos captam menos o ambiente.

No entanto, para obter resultados verdadeiramente profissionais, é necessário um mínimo de otimização acústica, se não em toda a sala, pelo menos numa cabina acústica ou num ecrã de microfone.

Porque é que devo tratar a sala acusticamente?

Quando um cantor canta em frente a um microfone num espaço fechado, as ondas sonoras entram no microfone através de dois caminhos:

  • Som direto: O som que vem diretamente da boca do cantor para o microfone (que é o que realmente queremos).
  • Reflexos sonoros: O som que se reflecte nas paredes a partir da fonte sonora para depois entrar no microfone (o que não queremos).
É assim que as ondas sonoras chegam ao microfone numa sala sem tratamento acústico
É assim que as ondas sonoras chegam ao microfone numa sala sem tratamento acústico

O nosso objetivo na otimização da acústica de uma sala é evitar ao máximo as reflexões sonoras, instalando absorventes nas paredes, tectos e pavimentos. Um absorvedor tem a capacidade de absorver as ondas sonoras para que estas deixem de ser reflectidas.

Ao fixar absorventes nas paredes e tectos, as ondas sonoras são absorvidas para que não haja reflexos sonoros no microfone.
Ao fixar absorventes nas paredes e tectos, as ondas sonoras são absorvidas para que não haja reflexos sonoros no microfone.

Isto porque os reflexos contribuem para que a voz soe indistinta, desfocada e como se estivesse à distância. Semelhante a cantar na casa de banho. Também podem ocorrer problemas de fase porque a onda sonora do reflexo chega ao microfone fora de fase em comparação com o som direto.

Como mínimo absoluto, devem ser colocados absorventes nas paredes e nos tectos na proximidade imediata do microfone. Juntamente com um tapete diretamente entre o cantor e o microfone, estes elementos absorvem os primeiros reflexos da voz e as vozes soam mais secas e claras.

No entanto, é melhor tratar acusticamente toda a sala, com absorventes nas paredes e no teto, tapetes no chão e armadilhas de graves nos cantos. Desta forma, pode ter a certeza de que o som 100% permanece limpo e que não são captados quaisquer reflexos.

Se quiser saber mais, consulte o meu guia DIY para otimizar a acústica da sala com pouco dinheiro - onde explico em pormenor como conseguir uma boa acústica da sala com um orçamento reduzido.

Como solução intermédia (se não quiser otimizar toda a sala), pode também utilizar cabinas vocais.

Exemplos de 2 cabinas vocais (Esquerda: t.akustik Vocal Booth, 779€; Direita: Exemplos de 2 cabinas vocais (Esquerda: t.akustik Vocal Booth, 779€; Direita: t.akustik Isolation Booth, 2.799€)
Exemplos de duas cabinas vocais (esquerda: t.akustik Vocal Booth, 779€; direita: t.akustik Isolation Booth, 2.799€)

No entanto, o som não é tão agradável como numa sala acusticamente tratada, porque uma cabina vocal é muito pequena e, por isso, a voz soa pouco natural. Muito melhor do que numa sala sem tratamento, claro, mas ligeiramente pior do que numa sala com tratamento acústico normal.

Os protectores de microfone são outra solução intermédia. São como pequenas cabinas vocais, mas são colocadas apenas à volta do microfone e destinam-se a evitar que os reflexos entrem no microfone.

Ecrãs de microfone: t.akustik Vocal Head Booth (398€) e o t.bone Micscreen XL (79€)
Ecrãs micro: t.akustik Cabeceira Vocal (398 euros) e o t.bone Micscreen XL (79€)

Existem modelos como o t.akustik Vocal Head Booth, o t.bone Micscreen XL ou o Aston Microphones Halo Shadow. Este é o último recurso quando não é possível efetuar qualquer tratamento acústico e não é possível comprar ou construir uma cabina vocal, uma vez que a capacidade de absorção de construções tão pequenas é bastante limitada.

Passo 2: Escolher o microfone certo

Agora vem o próximo grande passo, a seleção do microfone vocal. Se não tiver uma boa acústica de sala, então os microfones de condensador estão fora de questão, apenas os microfones dinâmicos. E não há muita escolha, por isso, neste caso, recomendo sempre um Shure SM7B.

O Shure SM7B é o melhor microfone para gravar vocais quando não se tem uma boa acústica de sala.
O Shure SM7B é o melhor microfone para gravar vocais quando não se tem uma boa acústica de sala.

Este é um microfone lendário que soa muito natural (quase como um microfone de condensador), mas não capta o ambiente tanto quanto um microfone de condensador. Tem uma resposta de frequência muito boa e soa incrivelmente claro e detalhado.

Se a acústica da sala for boa, deve utilizar um microfone de condensador. Estes soam mais naturais, mais claros e mais precisos. Se este for o seu primeiro microfone, deve utilizar um microfone que soe o mais neutro possível.

Muitos microfones têm amplificações em determinadas gamas de frequência, o que os torna mais adequados para determinadas situações, mas não para todas. É por isso que eu nunca recomendaria um microfone de tubo como seu primeiro microfone, pois ele só é adequado para determinadas situações. Um microfone neutro, por outro lado, pode ser utilizado por qualquer cantor em qualquer canção! Ao misturar, pode então equalizar o microfone para obter a cor de som desejada.

O primeiro microfone de condensador que muitos produtores compram é o Rode NT1A - incluindo eu - e é uma óptima primeira escolha. Este microfone é relativamente neutro (tem um pequeno mas mínimo aumento nas frequências médias, o que é muito bom para a voz) e soa claro e distinto, como os bons microfones de condensador.

O Rode NT1A é um excelente microfone para gravações vocais que não custa muito e ainda proporciona um som cristalino
O Rode NT1A é um excelente microfone para gravações vocais que não custa muito e ainda proporciona um som cristalino

Por pouco menos de 250 euros, pode obter o Rode NT1, que soa um pouco melhor. Se tiver um pouco mais de dinheiro para gastar, microfones como o AKG C414 ou o Neumann TLM 103 são uma entrada muito boa na gama de alta qualidade.

E se for um profissional e quiser realmente ganhar dinheiro com a sua música, vale a pena investir no microfone vocal topo de gama mais famoso do mundo, o Neumann U87. É muito caro - pouco menos de 3.000 euros com uma aranha - mas é simplesmente um microfone universal que soa bem com qualquer cantor. Não é por acaso que é o microfone mais utilizado nos estúdios profissionais.

Eu próprio utilizo o Neumann U87Ai quase sempre que gravo um cantor no meu estúdio.
Eu próprio utilizo o Neumann U87Ai quase sempre que gravo um cantor no meu estúdio.

Se quiser saber mais sobre microfones vocais, recomendo o meu artigo sobre os 8 melhores microfones para rappers e cantores. Lá eu comparo em detalhes os melhores microfones para gravações vocais.

Passo 3: Colocar o microfone na sala

Se a sala estiver acusticamente optimizada, é praticamente indiferente onde se coloca o microfone, desde que esteja ligeiramente afastado da parede e não exatamente no meio. O microfone deve então ser colocado de modo a que o cantor fique de costas para a parede mais próxima, para que cante para a sala e não contra a parede.

No caso dos microfones de condensador, deve ser sempre utilizado um protetor contra ruídos para minimizar os sons plosivos e outros ruídos causados pelo ar expelido pela boca.

Como podem ver, o cantor está aqui de costas para o canto e a cantar para a sala. Há absorvedores em todas as paredes próximas para absorver os reflexos.
Como podem ver, o cantor está aqui de costas para o canto e a cantar para a sala. Há absorvedores em todas as paredes próximas para absorver os reflexos.

Se a sala não soar muito bem acusticamente, tente em sítios diferentes - por vezes soa bem onde há mobília grande por perto, porque também absorve algum som. Depois, é importante não cantar num canto ou perto da parede, porque é aí que os problemas acústicos são mais óbvios. O melhor sítio é cerca de 1/4 do comprimento da sala.

O microfone deve ser colocado à altura correcta, de modo a que a cápsula do microfone fique à mesma altura que a boca do cantor, talvez mesmo um pouco mais alta. Se o microfone tiver uma caraterística cardioide, o cantor deve estar um pouco afastado do microfone, pelo menos 10 cm. Se se aproximar, a gama de graves é acentuada pelo efeito de proximidade e a voz soa pouco natural e indistinta.

Se a acústica da sala for má, o canto deve ser feito mais perto do microfone para que os reflexos sonoros sejam captados muito mais silenciosamente do que o som direto.

Este não é o caso dos microfones omnidireccionais, como o AKG C414 ou o Neumann U87 - aqui pode aproximar-se o mais que quiser, a voz permanece natural.

Passo 4: Preparar a gravação

O passo seguinte é preparar a gravação. É melhor fazê-lo antes de o cantor entrar no estúdio, caso contrário terá de esperar desnecessariamente. Nada estraga mais o humor de um cantor do que ter de esperar em frente ao microfone enquanto se procura o canal de entrada correto na DAW.

Em busca da faixa certa no grande projeto DAW
Em busca da faixa certa no grande projeto DAW

Uma boa preparação para uma gravação vocal inclui:

  • Prepare a faixa em que o cantor está a gravar com o canal de entrada certo e possivelmente com os efeitos certos. Eu próprio utilizo sempre um compressor ligeiro e algum reverb. O microfone deve ser ligado à interface com um cabo XLR e deve ser criada uma faixa no DAW onde se escolhe o canal de entrada correto da interface.
  • O acompanhamento musical da gravação deve estar pronto. Quer se trate de uma batida acabada ou de uma produção semi-acabada, é importante que o cantor tenha um acompanhamento para cantar. Por esta razão, nas produções de canções completas, as vozes são muitas vezes gravadas em último lugar, para que todos os outros elementos já estejam definidos.
  • Trazer uma garrafa de água para o cantor.
  • Um suporte de notas para a letra no caso de o cantor não saber a letra de cor.

Por experiência própria, posso dizer que o desempenho de um cantor é muito melhor se ele souber a letra de cor. Nem todos os cantores sabem a letra de cor, mas vale a pena praticar bastante a canção antes de a gravar, para que tenha interiorizado tudo.

Também é muito importante que o cantor se sinta muito confortável, porque só assim pode dar o seu melhor desempenho. Se estiver a gravar para si próprio e a cantar sozinho, aplica-se o mesmo: crie uma atmosfera em que se sinta confortável e descontraído. Algumas pessoas apostam numa iluminação LED especial para criar essa atmosfera. No fim de contas, é uma questão pessoal.

Não tenha pressa e faça tantos takes quantos forem necessários até ficar 100% satisfeito. Porque nada é mais importante do que a gravação - nenhuma quantidade de edição, mistura ou masterização pode salvar uma má gravação vocal.

Monitorização

Para gravações vocais, o cantor recebe auscultadores para que se possa ouvir através do microfone juntamente com a música. É imperativo utilizar auscultadores fechados, para que a música não penetre no microfone através dos auscultadores (de qualquer modo, alguma penetra, mas isso não é um problema, desde que seja muito baixa em relação ao cantor, o que acontece sempre com auscultadores fechados).

Devem ser sempre utilizados auscultadores fechados, uma vez que a cabeça do cantor está muito próxima do microfone.
Devem ser sempre utilizados auscultadores fechados, uma vez que a cabeça do cantor está muito próxima do microfone

Se houver outras pessoas na sala, como o técnico de som ou amigos, também devem ter auscultadores para poderem ouvir. Se tiver uma sala de audição separada, essas pessoas não precisam de auscultadores e podem ouvir normalmente através dos monitores de auditório.

Passo 5: Nivelar corretamente

Quando tudo estiver no lugar, é altura de nivelar corretamente o microfone. Pessoalmente, deixo sempre o cantor cantar a canção algumas vezes. Dessa forma, tenho tempo para acertar e ele pode aquecer a voz e dizer-me se se ouve bem.

Provavelmente está a gravar digitalmente com uma resolução de 24 bits (todas as interfaces de áudio modernas têm esta resolução), o que significa que não tem de gravar muito perto do limite superior de volume como costumava fazer. Por isso, mantenha-se longe da zona vermelha! Uma sobrecarga durante a gravação é quase impossível de salvar.

Este seria um bom nível no canal de entrada do vocal.
Este seria um bom nível no canal de entrada dos vocais

Pode então aumentar o volume durante a mistura sem qualquer problema e continuar a não ter problemas de ruído porque a gama dinâmica é muito grande com 24 bits (144 dB). No passado, tinha-se uma gama dinâmica muito mais baixa (96 dB) com 16 bits e, por isso, tinha-se de gravar o mais alto possível.

Se quiser saber mais sobre o conceito de profundidade de bits e gama dinâmica, recomendo o meu artigo Sample Rate and Bit Depth in Digital Audio.

Mas o nivelamento também significa - e isto é muito importante - que o cantor se ouve bem, não demasiado baixo. Porque, caso contrário, ele ou ela canta demasiado alto durante a gravação para compensar. É claro que, em certos géneros, é necessário baixar o volume se soubermos que o cantor vai gritar, por exemplo, no heavy metal, mas, regra geral, isso raramente acontece.

O cantor deve cantar uma vez, sinalizando com a mão se quer ouvir-se mais alto ou mais baixo, até atingir o volume perfeito. No entanto, o volume do cantor deve ser ajustado através de um controlo de monitor separado, como um send-out ou similar, e não através do nível de entrada. O nível de entrada só é importante para que o volume no DAW esteja correto. Ajuste o nível de monitorização apenas depois de ter ajustado o nível de entrada.

Etapa 6: Levantamento

Agora é altura de gravar. Basicamente, existem duas abordagens para as gravações vocais:

  • Absorver tudo de uma só vez. Grava-se a canção inteira num só take e repete-se este processo até se ter 3 ou 4 bons takes para trabalhar mais tarde. Este método é preferido por alguns cantores, especialmente aqueles que têm muita experiência ao vivo.
  • As partes individuais são registadas passo a passo. Este método é um pouco mais aborrecido, mas é preferido pela maioria dos cantores no estúdio, porque pode sempre concentrar-se exatamente nas partes individuais. Aqui pode dividir a canção em tantas pequenas secções quantas quiser, por exemplo, primeiro gravar o primeiro verso, depois o segundo verso, depois o refrão, e assim por diante. Depois, as partes têm de ser cortadas em conjunto pelo engenheiro de som.

Ambos os métodos podem dar resultados muito bons - o que se escolhe é uma questão de gosto pessoal.

Eu recomendo sempre que se tenha pelo menos dois ou três bons takes de cada parte da música que se considere perfeita e com a qual se possa trabalhar mais tarde ao misturar. Porque é frequente reparar em problemas mais tarde, durante a mistura, que não se notaram durante a gravação, porque, por exemplo, comprime-se muito a voz durante a mistura.

É muito útil ter um outro take de reserva, onde talvez isto não aconteça exatamente neste momento (por exemplo, se o cantor der um pontapé acidental na estante de música). Pode simplesmente gravar diferentes takes na mesma faixa (no Pro Tools isto chama-se playlists, no Ableton take lanes) e mais tarde, quando estiver a misturar, compare ambas as gravações ao mesmo tempo com alguns cliques e seleccione a melhor.

Se a sessão de gravação se tornar demasiado longa, deve sempre fazer pausas, pois a concentração do artista diminui com o tempo. Uma sessão de gravação não deve durar mais de 3 horas - os cantores experientes podem, evidentemente, durar mais tempo - porque é provável que não saia nada de bom depois disso.

As pausas são sempre importantes para gravações vocais longas, caso contrário o desempenho deteriora-se.
As pausas são sempre importantes para gravações vocais longas, caso contrário o desempenho deteriora-se.

A minha experiência de gravação com muitos cantores mostrou-me que, para a maioria deles, o primeiro ou segundo take é normalmente o melhor, porque se pode simplesmente cantar com a cabeça limpa, ao passo que no vigésimo take já há tanta coisa a passar pela cabeça que mal se consegue concentrar.

Mas cada cantor é diferente - também há cantores que precisam de 5 takes para aquecer. Aqui, cada cantor tem de decidir por si próprio de quantos takes precisa.

Passo 7: Noções básicas de mistura vocal

Ao gravar, as vozes não devem ser misturadas prontas, mas pode valer a pena adicionar alguns efeitos para fazer com que a atuação soe melhor e motivar o cantor. Isso geralmente inclui reverberação (mas não muito) para que a voz não soe tão seca. Nas gravações de hip-hop, por exemplo, um compressor também ajuda a dar um pouco mais de força à voz.

Se o cantor tiver que cantar muito perto do microfone por causa da sala, pode valer a pena usar um EQ durante a gravação para neutralizar o efeito de proximidade. Para o fazer, basta baixar um pouco os graves para que a voz volte a soar mais natural.

Tudo isto não é obrigatório, mas pode ajudar o cantor a soar melhor, o que, por sua vez, aumenta a sua disposição e motivação e, em última análise, conduz a uma melhor gravação vocal.

Se quiser saber mais sobre a mistura de vozes, recomendo o meu guia de mistura extensivo, onde também explico como misturar vozes.

Conclusão

Por último, gostaria de sublinhar mais uma vez a importância da gravação vocal para a produção de uma canção. Eu diria mesmo que é a coisa mais importante de todas. Sem uma boa gravação vocal, nunca haverá uma boa canção, por melhor que seja o seu pós-processamento. Até o famoso Auto-Tune precisa de gravações vocais relativamente "boas" para conseguir o efeito desejado.

Por isso, é sempre necessário ter calma e repetir este processo até que a gravação fique o melhor possível. Mas não se deve deixar enlouquecer e é preciso conhecer os seus próprios limites ou os do cantor - aqui é muito bom ter uma segunda pessoa a ouvir.

A certa altura, chega-se a um ponto em que se tem de perguntar objetivamente se um melhor desempenho é sequer realista. Afinal de contas, um cantor que está a fazer a sua primeira sessão de estúdio não pode esperar soar como a sua amada estrela de topo.

Aqui pode encontrar instruções mais detalhadas para gravar no Home Studio:

Partilhar este artigo

Investigamos, testamos, revemos e recomendamos de forma independente os melhores produtos. Se comprar algo através dos nossos links, poderemos receber uma comissão.

Mais contribuições
Os melhores pedais de reverberação
Gear
Os melhores pedais de reverberação para guitarristas e produtores
Um pedal de reverberação pode dar uma profundidade incrível à guitarra e enriquecer enormemente o som. Independentemente de o seu amplificador já ter um reverb incorporado ou não ...
Leia mais →
Os melhores pedais de chorus
Gear
Os 8 melhores pedais de chorus para guitarristas e produtores
Os pedais Chorus eram particularmente populares nos anos 80 e lendas como Kurt Kobain ou John Frusciante tornaram-nos ainda mais populares nos anos 90. Atualmente ...
Leia mais →
Os melhores pedais de distorção
Gear
Os melhores pedais de distorção/amplificador para guitarra eléctrica
Hoje em dia, os pedais de distorção são mais populares do que nunca - na era digital, em que muitos guitarristas tocam sem amplificadores ou com amplificadores transistorizados, os pedais de distorção são usados com muita frequência, ...
Leia mais →
Os melhores computadores portáteis para produção musical
Gear
Os 12 melhores computadores portáteis para produção musical
Durante muito tempo, pensou-se que era absolutamente necessário ter um computador portátil da Apple para produzir música em movimento - já não é assim. Mesmo que ...
Leia mais →
Os melhores pedais de delay
Gear
Os melhores pedais de delay em 2024
Os pedais de delay estão entre os pedais favoritos dos guitarristas - um efeito de delay cria profundidade e um som atmosférico que não pode ser alcançado por outros meios. ...
Leia mais →
Aprender a ler partituras na bateria
Não categorizado
Ler partituras de bateria: É assim que funciona
Os percussionistas têm as suas próprias partituras - isto é particularmente importante quando se aprende bateria numa escola de música. Mas também para os bateristas que tocam em muitas ...
Leia mais →