Círculo das quintas: explicação, aplicação prática e mnemónica

Como músico, provavelmente já ouviu falar do círculo de quintas - é uma ferramenta muito útil para compor e ler música. Neste artigo, aprenderá tudo sobre o círculo de quintas: o que é, como funciona e como o pode utilizar.
Índice

O que é o círculo dos Quintos?

O círculo das quintas (também chamado círculo das quartas) é uma representação gráfica das 12 tonalidades maiores e menores em intervalos de quintas que fornece muita informação. O círculo de quintas ajuda-nos a identificar rapidamente as assinaturas de uma tonalidade. Mas também nos ajuda a construir acordes, a encontrar a pentatónica ou a harmonizar em diferentes tonalidades.

Pode aprender o círculo de quintas rapidamente e escrevê-lo se precisar, porque cada tecla está sempre a uma quinta de distância da seguinte - por isso só tem de subir uma quinta (7 semitons) para chegar à tecla seguinte.

Começa-se sempre no topo, no meio, em Dó maior e move-se em círculo, em quintas etapas, no sentido dos ponteiros do relógio. Cada passo no sentido dos ponteiros do relógio significa mais uma cruz. Mas se fores no sentido contrário ao dos ponteiros do relógio no círculo de quintas, moves-te em intervalos de quartas e a cada passo adicionas um sinal ♭.

O círculo exterior mostra as tonalidades maiores e o círculo interior as tonalidades menores paralelas, que estão sempre 3 semitons abaixo da tonalidade maior. Desta forma, pode encontrar rapidamente as chaves paralelas sem ter que calcular.

Círculo de quintas PDF

Aqui pode descarregar o círculo das quintas como um ficheiro PDF em formato A4 e imprimi-lo se quiser pendurá-lo na parede para o memorizar.

Utilização do círculo de quintas

Determinar chaves maiores com acidentes cruzados

Começamos no topo do círculo de quintas no meio com Dó maior, uma vez que esta tonalidade não tem acidentes. A partir daqui, move-se no sentido dos ponteiros do relógio para encontrar as teclas com acidentes. Cada vez que se avança um passo, acrescenta-se um acidental.

chaveNúmero de cruzesQue cruzes?
C major0nenhum
Sol maior1 F#
D major2F#, C#
Uma grande3F#, C#, G#
E major4F#, C#, G#, D#
B major5F#, C#, G#, D#, A#
F - F - Major6F#, C#, G#, D#, A#, E#

Como se pode ver, a armadura de clave está sempre um semitom acima do último acidental - também se pode trabalhar ao contrário: Se só tiver os acidentes mas não souber a tonalidade, também a pode determinar bem com este método.

Como exemplo: Se tiver 3 acidentes (F#, C#, G#), então sabe que a tonalidade é Lá maior (porque subimos um semitom de G# para Lá).

Determinar as tonalidades maiores com ♭ acidentes

Para encontrar as chaves com o sinal ♭ no círculo de quintas, começamos novamente às 12 horas em C maior. Mas agora vamos no sentido anti-horário (em intervalos de quartas) e adicionamos outro sinal ♭ a cada passo.

chaveNúmero de b'sQuais são os ♭'s?
C major0nenhum
F major1B
B grande plano2B, E♭
E grande plano3B, E♭, A♭
Um major plano4B, E♭, A♭, D♭
D flat major5B, E♭, A♭, D♭, G♭
G grande plano6B, E♭, A♭, D♭, G♭, C♭

Também aqui há um truque para reconhecer a tonalidade correcta a partir dos acidentes: A tónica da tonalidade é o penúltimo sinal de ♭. Se houver apenas 1 ♭-sinal, então é sempre Fá maior.

Como exemplo: Se há 4 ♭-sinais em nossas notas musicais (B♭, E♭, A♭, D♭), então a tonalidade é Lá bemol maior porque Lá bemol é nosso penúltimo acidental.

Mais de 5 acidentes: Teclas enarmónicas

Teoricamente, faltam algumas teclas no círculo das quintas. Por exemplo, onde está o Sol sustenido maior ou o Dó sustenido maior?

Estas chaves são representadas pelas chaves enarmónicas correspondentes, que na prática contêm as mesmas notas mas têm nomes diferentes. Por exemplo, Dó sustenido maior teria teoricamente 7 acidentes # e seria portanto muito complicado de ler. A tonalidade enarmónica de Ré bemol maior, no entanto, tem apenas 5 acidentes em Si bemol e é, por isso, mais fácil de tocar, razão pela qual se escolhe normalmente a tonalidade com menos acidentes.

Dois exemplos de confusões enharmonicas
Dois exemplos de confusões enharmonicas

Teoremas para o círculo de quintas

Com a ajuda de mnemónicas, pode aprender rapidamente o círculo das quintas. Para as teclas com o acidental #, pode recordar a seguinte frase:

Good Dogs Always Eat Before Furry Cats

A primeira palavra começa por G, logo G é a primeira e por isso tem apenas uma cruz; a segunda palavra começa por D, logo D é a segunda e por isso tem duas cruzes; A é a terceira e por isso tem três cruzes, etc.

Para as teclas com um sinal b, existe a seguinte mnemónica:

Five Big Elephants Are Dragging Garbage Cans

Mais uma vez: a primeira palavra começa com F e está em primeiro lugar, pelo que F tem apenas um ♭; a segunda palavra começa com B e está em segundo lugar, pelo que B maior tem dois ♭; It está em terceiro lugar, pelo que a clave tem três ♭, etc.

Determinar as tonalidades menores

As tonalidades menores situam-se no lado interior do círculo de quintas e estão sempre diretamente ao lado da tonalidade maior paralela. A tonalidade menor está sempre 3 semitons (uma terça menor) abaixo da tonalidade maior.

As tonalidades menores têm o mesmo número de acidentes que as tonalidades maiores paralelas - por isso, como é que se pode saber qual é a tonalidade olhando para os acidentes?

Para cada tonalidade maior (exterior) existe uma tonalidade menor paralela (interior) com o mesmo sinal. Ambas as tonalidades são apresentadas no círculo de quintas com a mesma cor.
Para cada tonalidade maior (exterior) existe uma tonalidade menor paralela (interior) com o mesmo sinal. Ambas as tonalidades são apresentadas no círculo de quintas com a mesma cor.

Normalmente é suficiente olhar para o último compasso da canção para ver qual é a última nota, uma vez que esta é normalmente a nota raiz da canção. As músicas normalmente terminam na nota raiz para dar uma sensação de resolução (para mais sobre isto, veja o meu artigo sobre cadências musicais).

Assim, se eu tiver uma peça com duas cruzes, sei que a tonalidade é Ré maior ou Si menor. Depois olho para a última nota - se for um Ré, estamos em Ré maior, e se for um Si, estamos em Si menor.

2 cruzes significam 2 passos para a direita no círculo de quintas, ou seja, Ré maior ou Si menor.
2 cruzes significam 2 passos para a direita no círculo de quintas, ou seja, Ré maior ou Si menor.

Construção de escalas com o círculo de quintas

Clique aqui para ler o artigo completo sobre escalas musicais

Também podemos usar o círculo de quintas para encontrar as notas de escalas menores ou maiores.

Encontrar a escala maior com o círculo dos quintos

É muito fácil descobrir, a partir do círculo de quintas, quais as notas que formam a escala maior. Para a tonalidade de Sol maior, por exemplo, basta efetuar os seguintes passos:

  1. Procuramos a nota inicial, neste caso G.
  2. Dê um passo para a esquerda (no sentido contrário ao dos ponteiros do relógio). Neste caso, acaba em C.
  3. As 7 notas a partir de Dó no sentido horário formam a escala maior de Sol.
Eis como encontrar as notas de uma escala maior no círculo das quintas
Eis como encontrar as notas de uma escala maior no círculo das quintas

Encontrar a escala menor com o círculo de quintos

Para obter a escala menor natural, temos de trabalhar novamente com as tonalidades paralelas. A escala menor tem as mesmas notas que a escala maior paralela, mas começa no sexto grau.

Como exemplo, tomemos a escala de Ré menor. Para obter a escala menor, procedemos da seguinte forma:

  1. Em primeiro lugar, procuramos a nossa nota principal no círculo interno, neste caso D.
  2. Em seguida, procuramos o paralelo maior que se encontra diretamente ao seu lado no círculo exterior. Neste caso, seria F.
  3. Damos um passo para a esquerda (sentido anti-horário), que para F seria B.
  4. As 7 notas a partir de B no sentido dos ponteiros do relógio são a escala de F maior e, portanto, também a escala de D menor.
Eis como encontrar as notas de uma escala menor no círculo das quintas
Eis como encontrar as notas de uma escala menor no círculo das quintas

Estrutura de acordes com o círculo de quintas

Antes de começar a formar acordes, é preciso ter dois conceitos bem claros:

  • Um acorde maior é composto pela raiz, a terça maior e a quinta.
  • Um acorde menor é composto pela raiz, a terça menor e a quinta.

Construção de um acorde maior com o círculo de quintas

A estrutura de um acorde maior é muito simples, porque a raiz e a sua quinta são vizinhas. Assim, se avançarmos um passo a partir da raiz no sentido dos ponteiros do relógio, temos a quinta do acorde. Para encontrar a tonalidade em falta, a terceira, basta ver qual a tonalidade que se encontra abaixo desta quinta no círculo interno (ou seja, a tonalidade paralela menor).

Por exemplo, para construir o acorde D major:

É assim que o acorde de Ré maior é construído com a ajuda do círculo de quintas
É assim que o acorde de Ré maior é construído com a ajuda do círculo de quintas
  1. Primeiro procuramos o D no círculo externo, que é o nosso tom de fundo.
  2. A sua quinta é a nota seguinte quando se movimenta um passo no sentido dos ponteiros do relógio, neste caso um A.
  3. A sua terceira maior está mesmo ao lado dela no círculo interno (tonalidade menor paralela).

Assim, o nosso acorde maior consiste em D - F# - A.

Construindo um acorde menor com o círculo dos quintos

A estrutura de um acorde menor também é muito simples se olharmos mais de perto para o círculo de quintas. A terça menor é a tonalidade paralela à maior e a quinta está um passo no sentido dos ponteiros do relógio a partir da raiz.

Como exemplo, consideremos o acorde de Sol menor.

É assim que o acorde de Sol menor é construído com a ajuda do círculo de quintas
É assim que o acorde de Sol menor é construído com a ajuda do círculo de quintas
  1. Primeiro procuramos o G no círculo interno, que é o nosso tom de fundo.
  2. A quinta é encontrada seguindo um passo no sentido horário a partir da raiz, caso em que se chega a D.
  3. A terceira menor é a tonalidade paralela maior da fundamental, portanto, simplesmente vamos para fora da fundamental e, neste caso, terminamos com B.

Portanto, o nosso acorde menor consiste em G - B - D.

Construir uma escala pentatónica com o círculo das quintas

Com o círculo de quintas, é muito fácil encontrar as escalas pentatónicas. Começamos com a escala pentatónica maior.

Encontrar o pentatónico maior do círculo dos quintos

Para determinar a pentatónica maior, basta encontrar a fundamental no círculo exterior do círculo das quintas. Esta e as quatro notas seguintes no sentido dos ponteiros do relógio formam a pentatónica maior.

Por exemplo, se quisermos obter a escala pentatónica de A, procuramos esta nota no círculo exterior e as 4 seguintes formam a sua escala pentatónica com A: A, E, B, F# e C#.

Para determinar a escala pentatónica de Lá maior
Para determinar a escala pentatónica de Lá maior

Encontrar o pentatónico menor do círculo dos quintos

O processo é muito semelhante para a pentatónica menor. Uma vez que a pentatónica menor contém as mesmas notas que a pentatónica maior relativa, só tem de fazer os seguintes passos:

  1. Procuramos a raiz da pentatónica menor que estamos a procurar no círculo interior.
  2. Damos um passo para fora no círculo de quintas, para a tonalidade paralela maior.
  3. Partindo da tonalidade paralela maior, contamos mais 4 passos para a direita. Estas 5 notas formam a pentatónica menor da nossa nota inicial.

A título de exemplo, eis a identificação da pentatónica em Mi menor:

Para determinar a escala pentatónica de Mi menor
Para determinar a escala pentatónica de Mi menor

Harmonização da grande escala

O círculo de quintas pode fazer muito mais - pode ajudar-nos a encontrar os acordes certos para qualquer tonalidade, e com uma regra simples pode encontrar acordes maiores, menores e até diminutos. Uma vez que a escala maior é composta por 7 acordes, é necessário seguir 7 passos para encontrar todos os acordes.

Tomaremos como exemplo a tonalidade de Ré maior:

  1. Primeiro procuramos o D maior no círculo exterior, que é a nossa tónica.
  2. O quinto passo, a dominante, é um passo mais à frente no sentido dos ponteiros do relógio, neste caso A maior.
  3. O quarto passo, a subdominante, está um passo mais à frente no sentido anti-horário, neste caso G maior.
  4. O segundo grau é a subdominante paralela, ou seja, a tonalidade menor paralela do quarto grau, neste caso E menor.
  5. O terceiro grau é a dominante paralela, ou seja, a tonalidade menor paralela do quinto grau, no nosso caso F sustenido menor.
  6. O sexto grau é o paralelo à tónica, portanto situa-se no círculo interior junto à tónica. No nosso caso, é B menor.
  7. O sétimo grau é a nota principal e está à direita do terceiro grau, ou seja, à direita dos nossos 6 acordes menores e maiores. O sétimo grau, c sharp, é diminuto.
Como encontrar os acordes de uma tonalidade maior usando o círculo das quintas
Para encontrar os acordes de uma tonalidade maior usando o círculo de quintas (Ré maior)

E se olhares com atenção, tudo faz sentido:

  • O primeiro, quarto e quinto graus são acordes maiores e portanto estão no círculo exterior. O quarto e o quinto graus estão a uma quinta e uma quarta de distância da fundamental, respetivamente, e estão portanto diretamente próximos um do outro.
  • O segundo, terceiro e sexto acordes são acordes menores e encontram-se no círculo interior. São as tonalidades menores paralelas do primeiro, quarto e quinto graus e, portanto, encontram-se diretamente ao lado deles no círculo interno.
  • O sétimo está diminuído e está no círculo interno.

A propósito: as notas opostas no círculo de quintas formam um trítono, o chamado intervalo do diabo, que divide exatamente a oitava em metade.

Harmonização da escala menor natural

Harmonizar a escala menor com a ajuda do círculo de quintas também é uma brincadeira de crianças e o método é muito semelhante, se não o mesmo, que o dos acordes maiores.

Tomemos como exemplo a harmonização da tonalidade de Mi menor:

  1. Primeiro, encontramos o e-minor no círculo interno, que é a nossa tónica.
  2. O quinto grau (dominante), B menor, está a um passo de distância no sentido dos ponteiros do relógio.
  3. O quarto grau (subdominante), a menor, está a um passo de distância no sentido anti-horário.
  4. O sexto grau é C maior, o paralelo maior do quarto grau, ou seja, fora de a.
  5. O terceiro passo é G maior, o paralelo maior da tónica, ou seja, fora de e.
  6. O sétimo grau está acima do quinto grau, D maior, porque é o paralelo maior do quinto grau.
  7. O segundo passo, o passo diminuído, é aquele adjacente ao quinto passo: fis.
Como encontrar os acordes de uma tonalidade menor usando o círculo das quintas
Como encontrar os acordes de uma tonalidade menor usando o círculo das quintas (Mi menor)

E, mais uma vez, tudo faz sentido:

  • O primeiro, quarto e quinto acordes são acordes menores e estão portanto no círculo interior. O quarto e o quinto acordes estão a uma quinta e uma quarta de distância da raiz, respetivamente, e estão portanto em ambos os lados da raiz.
  • A terceira, sexta e sétima são acordes maiores e estão no círculo exterior, diretamente acima do primeiro, quarto e quinto graus, porque estas são as chaves maiores paralelas.
  • O segundo degrau é diminuído e encontra-se no círculo interior.

Conclusão

O círculo das quintas mostra-nos que a música e a matemática não estão separadas na sua essência, mas são expressões do mesmo princípio universal - a procura de harmonia, ordem e beleza no mundo que nos rodeia. O círculo das quintas é, portanto, mais do que uma simples ferramenta para músicos e compositores. É um símbolo da ligação inseparável entre arte e ciência, sentimento e lógica, criatividade e estrutura.

Outros artigos:

Partilhar este artigo

Investigamos, testamos, revemos e recomendamos de forma independente os melhores produtos. Se comprar algo através dos nossos links, poderemos receber uma comissão.

Mais contribuições
Os melhores pedais de reverberação
Gear
Os melhores pedais de reverberação para guitarristas e produtores
Um pedal de reverberação pode dar uma profundidade incrível à guitarra e enriquecer enormemente o som. Independentemente de o seu amplificador já ter um reverb incorporado ou não ...
Leia mais →
Os melhores pedais de chorus
Gear
Os 8 melhores pedais de chorus para guitarristas e produtores
Os pedais Chorus eram particularmente populares nos anos 80 e lendas como Kurt Kobain ou John Frusciante tornaram-nos ainda mais populares nos anos 90. Atualmente ...
Leia mais →
Os melhores pedais de distorção
Gear
Os melhores pedais de distorção/amplificador para guitarra eléctrica
Hoje em dia, os pedais de distorção são mais populares do que nunca - na era digital, em que muitos guitarristas tocam sem amplificadores ou com amplificadores transistorizados, os pedais de distorção são usados com muita frequência, ...
Leia mais →
Os melhores computadores portáteis para produção musical
Gear
Os 12 melhores computadores portáteis para produção musical
Durante muito tempo, pensou-se que era absolutamente necessário ter um computador portátil da Apple para produzir música em movimento - já não é assim. Mesmo que ...
Leia mais →
Os melhores pedais de delay
Gear
Os melhores pedais de delay em 2024
Os pedais de delay estão entre os pedais favoritos dos guitarristas - um efeito de delay cria profundidade e um som atmosférico que não pode ser alcançado por outros meios. ...
Leia mais →
Aprender a ler partituras na bateria
Não categorizado
Ler partituras de bateria: É assim que funciona
Os percussionistas têm as suas próprias partituras - isto é particularmente importante quando se aprende bateria numa escola de música. Mas também para os bateristas que tocam em muitas ...
Leia mais →